Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

Mercado de Trabalho

As possibilidades da carreira em W para sua trajetória profissional

Mercado de Trabalho

Como montar o currículo de professor de educação física perfeito

Mercado de Trabalho

As possibilidades da carreira em W para sua trajetória profissional

Por EAD CESMAC em Feb 18, 2022 5:17:19 PM | 18 min de leitura

As relações das diferentes gerações (dos baby boomers e passando pela X, Y ou millennials e Z) com o mercado de trabalho já foram alvo de muito debate. 

A passagem de carreiras e cargos estáveis e mais previsíveis para formas colaborativas e interdisciplinares de trabalho, freelas, gig economy…  

São divergências comportamentais nítidas, mas todas gerações possuem algo em comum: almejam uma carreira de sucesso e um bom currículo para contar suas histórias!  

Os setores de recursos humanos das instituições já sacaram essas mensagens e, provocados por essas discussões, estão se adaptando a partir destes recortes etários! 

Afinal de contas, são outras formas de pensar sobre o vínculo com o local de trabalho, a carreira e as motivações profissionais. Pensando nisso, várias questões novas surgiram e colocaram em xeque antigas fórmulas.  

Como por exemplo: os líderes devem apenas delegar, como ocorria antigamente? 

Ou precisam também colocar a mão na massa ou no mínimo entender verdadeiramente como funciona o processo técnico que eles delegam para não criarem expectativas e prazos inviáveis?  

Para resolver essa e outras questões, a chamada carreira em W surge para combinar conhecimentos técnicos e específicos com cargos e perfis de liderança e gestão.  

Acredita-se, nessa perspectiva, que habilidades técnicas e de gestão não são excludentes, mas complementares.  

É, portanto, uma forma de conciliar novas perspectivas e desejos dos profissionais com o desenvolvimento da própria instituição. Trata-se de uma nova perspectiva sobre desenvolvimento profissional e plano de carreira.  

Mas até aqui o conceito de carreira em W ainda está abstrato, certo? 

Por isso você vai encontrar as seguintes informações a seguir: 

O que é um plano de carreira dentro das organizações 
Como funciona a estrutura de carreira em W  
Vantagens e desvantagens da carreira em W 
Três filmes sobre carreira e diferentes gerações 
Ensino de qualidade para você investir na sua carreira

A carreira em W combina habilidades de gestão com as técnicas 

O que é um plano de carreira dentro das organizações 

O plano de carreira trata-se de uma trajetória em potencial que é possível ter dentro da organização. É um planejamento feito pelo profissional a partir do que ele entende ser possível dentro daquela instituição, uma espécie de mapa.  

É, portanto, uma forma do colaborador entender que tem futuro naquele espaço. 

Geralmente esse sentimento ocorre a partir da combinação: 

Essa fórmula que resultará em novos cargos dentro do organograma da empresa.  

Ou seja: um caminho de ascensão, geralmente exemplificado na figura de alguém que começa na base e vai conquistando posições diferentes na hierarquia da instituição.  

Devemos sempre lembrar que esse caminho de sucesso só é possível com qualificação continuada, ou seja: não dá para parar de estudar.  

Hoje em dia uma graduação, por exemplo, é super importante para conseguirmos colocar em prática o que estamos trazendo nesse texto.  

E, nesse sentido, um plano de carreira é essencial para atração e retenção de profissionais qualificados que estão em busca de oportunidades.  

Mas você sabia que existem diferentes tipos de planos de carreira, marcados temporalmente? Com qual você já teve contato e em qual se encontra hoje? 

Não sabe? Então vejamos: 

Os diferentes tipos de carreira 

Bottom-up 

Esse é o tipo mais tradicional, aquele com o qual nossos pais e avós provavelmente tiveram contato. Trata-se de uma trajetória vertical, da base para o topo. Nesse caso, o tempo de empresa conta muito!  

Profissionais que se desenvolveram na lógica bottom-up levam muito em consideração a estabilidade de um emprego para a vida toda.  

Carreira em Y  

A carreira em Y parte do pressuposto que é necessário um movimento contínuo de especialização para você se destacar. Possui apenas o Ensino Médio? Não é o bastante, busque uma graduação. 

Após a graduação é importante manter-se atualizado com uma pós e por aí vai. Esse é o cerne da carreira em Y, crescimento linear a partir de qualificação formal!  

Nesse caso os cargos técnicos e administrativos representam vias separadas de desenvolvimento. Em certo momento o colaborador deverá optar por um cargo gerencial de liderança ou de especialização, sem a possibilidade de coexistência entre ambas habilidades.  

Carreira em W  

Já na carreira em W, foco do nosso texto, a palavra-chave é polivalência! Ela representa um zigue-zague em que é preciso conciliar os interesses das empresas e dos funcionários.  

A carreira em W (visualmente a junção de dois Y. Y+Y=W) surge, portanto, como uma solução à carreira em Y. Mas por quê? 

O modelo em Y possibilita apenas dois caminhos: liderança ou especialização ao invés de liderança e especialização.  

Com o modelo em W defende-se que é possível um terceiro caminho. Veremos a seguir a estrutura da carreira em W e qual caminho é esse.  

Como funciona a estrutura de carreira em W 

Para entendermos melhor como funciona a estrutura de carreira em W precisamos novamente rever as formas de carreira que precederam esse modelo.  

Visualmente, o modelo bottom up (em tradução livre, algo parecido com “debaixo para cima”) representa essa forma de ascensão vertical.  

Já ouviu falar sobre as gerações mais antigas ficarem em um emprego a vida toda ao passo que os jovens têm, atualmente, uma mobilidade bem maior?  

Pois bem, essa relação dos boomers com o mercado de trabalho tem a ver com a lógica do modelo bottom up. Tempo e dedicação ao trabalho e à organização geram essa ascensão “de baixo para cima”. Funcionava, de forma resumida, assim.  

Podemos dizer que o Y, por sua vez, representa um funil, ou seja: topo largo e base estreita. Por isso, a estrutura de carreira em Y trata de um processo de aprofundamento. 

Nessa perspectiva, os profissionais especializam-se cada vez mais dentro da instituição, aperfeiçoando-se e conquistando cargos mais complexos e técnicos. 

Eles fazem um movimento de funil (Y) pois partem de um topo largo e genérico para uma base cada vez mais específica e estreita.  

Já o modelo em W, como já citamos brevemente antes, é a junção de dois Y que forma um zigue-zague.  

O que isso quer dizer?  

Que o modelo de carreira em W permite ao colaborador passar por diferentes setores da sua empresa, tornando-se um profissional multifuncional.  

E como isso funciona na prática? 

Podemos usar como exemplo o cargo de gerente de projetos. Essa pessoa pode gerenciar projetos em diferentes áreas da organização, do marketing ao financeiro, por exemplo. Ou seja, o profissional consegue atuar tanto em cargos mais técnicos quanto em posições gerenciais. 

Isso faz com que ele entenda as diferentes formas de trabalho e transite bem entre elas, tornando-se um profissional multifacetado.  

Objetivos da carreira em W 

Mas e porque ocorreram essas transições? Existem objetivos nítidos por parte das instituições e que beneficiam também os colaboradores, são eles:  

  • Sistematização de planos de carreira e cargos; 
  • Profissionais com múltiplas habilidades desenvolvidas; 
  • Melhores entregas com melhores resultados; 
  • Aumento da produtividade. 

Vantagens e desvantagens da carreira em W 

Após todas essas explicações, vale colocarmos a carreira em W na balança, afinal de contas, na nossa vida toda escolha significa também uma renúncia, ou seja: existem vantagens e desvantagens. 

Confira abaixo:  

A PARTE BOA: 
  • Os colaboradores ficam mais satisfeitos e engajados porque suas motivações e aspirações são levadas em conta; 
  • Novos cargos e possibilidades! Já ouviu falar que talvez cargos e profissões do futuro ainda nem existam? Pois então… Cria-se espaço para o novo! 
  • Perspectiva sistêmica do plano de carreira, assim as organizações conseguem atrair e reter mais talentos. 
A PARTE RUIM: 

A principal desvantagem da carreira em W, uma característica à qual empresas devem estar sempre atentas, é a questão do foco! Pode-se facilmente perder o foco diante de tantas atribuições. 

Os mercados estão cada vez mais competitivos e as demandas não param de chegar, ou seja: o acúmulo de funções pode levar a grandes transtornos, impactando na produtividade da corporação e na saúde mental do colaborador.  

Três filmes sobre carreira e diferentes gerações 

Um ditado popular diz que a vida imita a arte, por isso selecionamos três filmes que mostram os choques entre gerações quando pessoas com diferentes concepções sobre carreira convivem. 

Veja a seguir: 

Um Senhor Estagiário (2015) 

O viúvo Ben, interpretado por Robert de Niro, tem 70 anos e resolve encarar um desafio: voltar a trabalhar. Ele vai parar no cargo de estagiário de uma grande empresa de moda. Spoiler: o espaço que abriga a empresa moderna onde Ben estagia era, no passado, o local onde Ben trabalhou a vida inteira.  

Além disso, é interessante observar a relação dele com seus colegas mais novos.  

Disponível em: HBO Max 

O Diabo Veste Prada (2006) 

Esse filme já virou um clássico! Andrea Sachs, interpretada por Anne Hathaway, é uma jovem que conseguiu emprego na Runaway Magazine, a mais importante revista de moda de Nova York. Ela passa a trabalhar como assistente de Miranda Priestly, eternizada por Meryl Streep, a principal executiva da revista.  

Apesar da chance que muitos sonhariam em conseguir, logo Andrea nota que trabalhar com Miranda não é tão simples assim e o choque geracional se faz presente. Vale a pena rever com um olhar aguçado e mais atento sobre esse assunto!  

Disponível em: Star+ 

Uma Manhã Gloriosa (2010) 

Recém-contratada como produtora de um programa de notícias matutino, Becky Fuller, interpretada por Rachel McAdams, decide revitalizá-lo devido à baixa audiência e traz o lendário âncora Mike Pomeroy, que se recusa a seguir as suas ideias.  

Disponível em: Globoplay 

Ensino de qualidade para você investir na sua carreira 

Você viu que ao longo deste artigo falamos da importância da qualificação para crescer na carreira. 

Para você conseguir conciliar estudo, trabalho e finanças pessoais, a EAD CESMAC desenvolveu 19 cursos de graduação a distância para você realizar seus sonhos profissionais. Todos eles têm a mesma qualidade do ensino presencial. 

Conheça os cursos da EAD CESMAC e comece sua faculdade agora mesmo! 

Mercado de Trabalho

Veja mais conteúdos sobre EAD e educação

Como montar o currículo de professor de educação física perfeito

Quer conquistar uma vaga no mercado de trabalho? Então, você deve aprender como montar um excelente currículo de ...
5 min de leitura

Como melhorar o SSI do LinkedIn em 4 passos simples!

Você já ouviu falar do SSI do LinkedIn? Esse indicador considera uma série de fatores para avaliar o quanto seu perfil ...
5 min de leitura

O que não pode faltar em um currículo de marketing

Para fazer um bom currículo de marketing, você precisa fazer o que um profissional dessa área sabe melhor: propaganda. ...
5 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Mercado de Trabalho