<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=2736481836612313&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Conheça nossos cursos
Conheça nossos cursos

ENEM

Por que você deve fugir do nariz de cera na sua redação do Enem

Mercado de Trabalho

Como funciona o período de experiência, de acordo com a CLT

ENEM

Por que você deve fugir do nariz de cera na sua redação do Enem

Por EAD CESMAC em May 9, 2022 12:00:00 PM | 7 min de leitura

Ao começar um texto — seja de qual gênero for — é comum dar uma pequena contextualização da temática, apresentando o assunto que vai ser discutido. 

Contudo, muitas vezes, as pessoas caem no erro de exagerar nessa abertura, fazendo trechos pouco objetivos e que acabam cansando o leitor. O nome dessa prática é nariz de cera. 

É um termo muito conhecido no meio jornalístico, mas que também serve para pensarmos a redação do Enem

Na ânsia de atingir o número de linhas exigidos pelo exame, muitos candidatos acabam caindo no nariz de cera, dando explicações e contextos desnecessários para construir a argumentação.

Esse tipo de prática demonstra certo despreparo dos estudantes e pode levar a uma pontuação menor em determinadas competências do Enem. 

Quer entender mais sobre o nariz de cera? Continue neste artigo e descubra como evitar essa prática e alcançar uma boa nota no exame.

Aqui você vai conferir:
O que é nariz de cera 
Por que o nariz de cera pode prejudicar a sua nota 
Como deve ser a estrutura da sua redação no Enem 
Conclusão

Descubra os segredos para tirar nota 1000 no ENEM!

O que é nariz de cera 

Nariz de cera é um trecho introdutório que retarda a entrada no assunto específico do texto

Ou seja, é a conhecida prática de “enrolar” ao escrever um texto, trazendo informações desnecessárias para a compreensão da redação. É um sinal de prolixidade e que torna o texto cansativo e pouco objetivo. 

É muito comum que as pessoas caiam no nariz de cera na tentativa de explicar e contextualizar o assunto abordado na narrativa, caindo no erro de trazer descrições excessivas e que não contribuem para o entendimento. 

Para a redação do Enem, que segue o modelo dissertativo-argumentativo, é essencial ter objetividade na hora de escrever. Isso permite que os argumentos fiquem claros e bem estruturados no texto. 

Contextualizações, exemplos e descrições são certamente bem-vindas na redação, mas somente se fizerem sentido e se realmente contribuírem na construção do texto. Caso contrário, é bem provável que você tenha caído no nariz de cera. 

>>> Leia mais: Redação sobre saúde mental: o que escrever + exemplos

Por que o nariz de cera pode prejudicar a sua nota

nariz de cera - jovem escrevendo redação

A redação do Enem é avaliada com base em cinco competências. A competência 3 analisa as seguintes habilidades: selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

Ou seja, o candidato precisa elaborar um texto que apresente, claramente, uma ideia a ser defendida e argumentos que justifiquem a posição assumida em relação à temática.

Essa competência trata da coerência e da plausibilidade entre as ideias apresentadas no texto.

Nesse sentido, o nariz de cera vai no sentido oposto ao que propõe essa competência. Afinal, ele traz informações desnecessárias e que não se relacionam de forma direta com os argumentos e ponto de vista defendido na redação. 

A competência 3 possui seis níveis de desempenho: 

  • 0 ponto — as informações apresentadas não se relacionam e não há defesa de ponto de vista;
  • 40 pontos — os argumentos são incoerentes ou se relacionam pouco ao tema, sem defesa de ponto de vista;
  • 80 pontos — os argumentos se relacionam ao tema e defendem um ponto de vista, mas são apresentados de forma desorganizada ou contraditória;
  • 120 pontos — os argumentos são ligados a um ponto de vista, mas são limitados e pouco organizados;
  • 160 pontos — os argumentos são apresentados de forma organizada e em favor de um ponto de vista;
  • 200 pontos — o candidato tem uma argumentação consistente e organizada e demonstra ter opiniões bem-fundamentadas.

É por esses diferentes níveis de pontuação que, ao recorrer ao nariz de cera, o candidato pode acabar com uma pontuação mais baixa do que esperava. 

>>> Leia mais: Os tipos de coerência que você precisa usar na sua redação do Enem

Como deve ser a estrutura da sua redação no Enem 

Já sabemos que o nariz de cera deve ser evitado em uma boa redação, mas como se constrói um texto nota mil?

A primeira coisa para se atentar é que a estrutura da redação Enem segue o modelo dissertativo-argumentativo. Ele consiste na defesa de um ponto de vista por meio da discussão de argumentos e da análise crítica deles. 

Esse texto se divide em introdução, desenvolvimento e conclusão.  

Para você entender melhor cada uma dessas partes, vamos falar um pouco mais sobre a composição delas abaixo, confira:

Introdução

A introdução é o parágrafo inicial da sua redação. O ideal é que ele contenha cerca de 5 linhas. Essa parte tem o objetivo de contextualizar o leitor sobre o assunto que você vai discutir ao longo do seu texto. 

É nesse momento do texto que muitos candidatos acabam caindo no nariz de cera, por isso é fundamental focar no essencial para a compreensão do leitor. 

Uma dica é sempre analisar o seguinte: se eu tirar a informação x, o texto ainda pode ser compreendido? Essa informação colabora para o raciocínio lógico que está sendo seguido? Se a resposta for não, é provável que você tenha feito um nariz de cera. 

Abaixo, trazemos mais algumas dicas:

  • Chame a atenção do leitor

Por ser o início do seu texto, a introdução deve aguçar a curiosidade do leitor, fazendo com que ele se interesse pelo resto da redação. 

Não esqueça que o corretor vai ler diversos textos sobre o mesmo assunto, então é importante chamar a atenção dele para conseguir uma boa nota.

Para isso, escolha citações, frases de efeito, definições, exemplos, alusões históricas ou dados que tornem a primeira frase do seu texto chamativa e interessante, instigando a leitura do restante da redação. 

  • Contextualize a temática

Agora que você já chamou a atenção do leitor, é hora de contextualizar a primeira frase com o tema proposto pela redação. Esse momento serve tanto para fazer essa relação, quanto para introduzir a ideia que será defendida no seu texto.

Ou seja, não adianta nada colocar uma frase de um filósofo famoso, se você não conseguir relacioná-la com o assunto da redação. É preciso ter lógica e conexão!

Aqui, é essencial ter cuidado para não cair no erro de contextualizar demais e acabar trazendo explicações desnecessárias, lembre-se que o nariz de cera deve ser evitado. 

  • Deixe clara a sua posição sobre o assunto

O texto dissertativo-argumentativo é do tipo opinativo. Ou seja, o autor defende um determinado ponto de vista. 

Por isso, é essencial que já na introdução essa posição esteja marcada. Não é obrigatório deixar a sua opinião na última frase do parágrafo introdutório, mas é importante que você deixe evidente qual será a tese defendida. 

Assim, fica claro para o corretor qual será o ponto de vista debatido ao longo da sua redação.

nariz de cera - mão segurando caneta e escrevendo em caderno

Desenvolvimento

Depois da introdução, os próximos dois ou três parágrafos do seu texto devem ser dedicados ao desenvolvimento dos seus argumentos, com cerca de 7 linhas para cada.

Os parágrafos de desenvolvimento são aqueles onde você apresenta os argumentos que defendem a seu posicionamento sobre o assunto, com o objetivo de convencer o leitor.

Abaixo, apresentamos alguns pontos importantes na estrutura do desenvolvimento:

  • Argumentos

O principal de uma redação dissertativa-argumentativa é a argumentação. E para construir uma boa, é essencial ter fatos e dados sólidos e verídicos que comprovem a sua tese. 

Você não deve apenas expor informações, mas analisá-las de forma crítica para convencer o leitor sobre elas e mostrar que você tem autoridade sobre aquilo que está abordando.

Esse é o principal objetivo do seu texto!

  • Ideais bem conectadas

Além de ter bons argumentos, é essencial que essas ideias estejam bem conectadas. Isso é essencial para o encadeamento lógico do texto e para garantir uma plena compreensão do seu posicionamento. 

Por isso, invista em conectivos e certifique-se de que todas as proposições conversem entre si.

Conclusão

Por fim, a conclusão é o parágrafo que finaliza a redação do Enem. Ela deve conter  aproximadamente, 5 linhas. 

Aqui, você não deve mais abordar novos argumentos, e sim relacionar o que já foi exposto e propor soluções para os problemas abordados ao longo do texto.

Algumas coisas importantes nesse parágrafo são:

  • Sintetize as ideias apresentadas

Como a ideia do parágrafo de conclusão é finalizar tudo o que foi abordado ao longo da redação, sintetizar a sua ideia principal é uma forma de começar a finalização do texto.

  • Faça propostas de intervenção detalhadas

A redação do Enem exige uma proposta de intervenção para o problema abordado no tema. Por isso, depois de introduzir o leitor ao parágrafo, você deve mostrar as intervenções que podem ser feitas para lidar com o problema. 

Para receber uma pontuação boa, é muito importante que você detalhe o agente, o que fazer, como fazer e a finalidade da medida. E não esqueça que é essencial respeitar os direitos humanos, viu?

Use sua nota do ENEM para ganhar uma bolsa de estudos!

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre nariz de cera e explicamos mais sobre a estrutura da redação do Enem. Se você gostou desse texto, não deixe de conferir outros conteúdos sobre o exame:

ENEM

Veja mais conteúdos sobre EAD e educação

Estequiometria no Enem: conceitos, cálculo e exercícios para praticar

Você sabia que estequiometria é um dos conteúdos de química que mais aparece no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)? ...
10 min de leitura

Tudo o que você precisa saber sobre ligações químicas [Química no Enem]

Em nosso dia a dia, temos contato com muitas substâncias, que se diferenciam em diversos aspectos. Cor, estado físico, ...
7 min de leitura

Como ler a tabela periódica [Química no Enem]

Já começou seus estudos de química para o Enem? Saiba que aprender a interpretar a tabela periódica é uma das ...
11 min de leitura
Ver mais conteúdossobre ENEM